O Impacto da pandemia no Comércio Varejista de Móveis e eletros

 
O Ramo Varejista de móveis e eletros, tradicionalmente constituído por empresas familiares, tiveram que se reinventar no meio desta pandemia, assim como todas as outras atividades que têm preferência pelo ambiente físico ao digital, o varejista de móveis e eletro teve que descobrir novas formas de vender seus produtos.
 
Segundo o IBGE (https://sidra.ibge.gov.br/tabela/3418#resultado ) Entre Março/20 e Fevereiro/21 o comércio de móveis e eletro teve uma variação acumulada de 8,2% nos últimos 12meses, apesar deste crescimento a nível nacional, nem todos os estados tiveram este resultado, é o caso do Ceará que neste mesmo período teve uma queda de -15,8% nas vendas de móveis e eletros dentre as unidades da federação avaliadas.
 
Com o aumento do desemprego no Ceará, chegando a 14,4% no último trimestre de 2020, segundo o Jornal Diário do Nordeste ( https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/negocios/com-pandemia-desemprego-no-ceara-e-o-maior-desde-2012-aponta-ibge-1.3058096 ) e a dificuldade de muitas pessoas de exercerem plenamente suas atividades, sejam elas formais ou informais, levaram a uma queda brusca da renda do Cearense que contribuiu fortemente para a queda das vendas, pois estas famílias tiveram que priorizar suas necessidades mais básicas.
 
A análise a nível nacional é que o comércio de móveis e eletro continue a crescer, tendo em vista que muitas pessoas ainda estão trabalhando em home-office, algumas migrando definitivamente para esta modalidade, cabe a pergunta se ainda dará tempo os varejistas de móveis e eletros do Ceará de aproveitarem está onda.
 
Deixo aqui uma dica para aqueles que trabalham no ramo varejista de móveis e eletros, em especial meus conterrâneos cearenses:
  1. Esteja presente nas redes sociais
  2. Esteja próximo dos seus clientes, invista em relacionamento e não somente em vendas.
  3. Invista financeiramente para que você possa aparecer para mais pessoas, sei que o momento é difícil nesta área, mas é preciso jogar a semente na terra para que você possa colher os frutos da sua árvore.
  4. Tenha constância nas suas ações.
  5. Faça um levantamento de todo o seu estoque, conheça-o bem, as vezes há mais dinheiro do que você imagina lá.
  6. Invista em parcerias, tanto com outros lojistas como com empresas que atuam em atividades de suporte.
  7. Ajude seus clientes a comprarem seus produtos, procurem a melhor forma para que eles possam lhe pagar.
  8. Muito cuidado com o seu fluxo de caixa, mais do que nunca precisamos estar preparados para quedas bruscas nas vendas, ou para quedas bruscas nos recebimentos de vendas a prazo (Crediário próprio).
 
Jonas Rocha
Consultor de Negócios
85 9 87623301
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
 
 

Imprimir   Email