ABCO - Associação Brasileira de Consultores

Quantos capitais a organização utiliza?


Por diversas vezes você, consultor,  é convidado a diagnosticar ‘qual o mal’ que está afetando aquele ‘paciente’, uma organização empresarial ou não governamental. Ou então, para confirmar ao proprietário/ dirigente que o ‘mal’ é exatamente aquele que já foi diagnosticado por ele.
Neste momento, será sempre saudável que você comece os seus levantamentos para o diagnóstico procurando identificar, com uma visão ampliada para além das fronteiras físicas da organização, ‘quantos capitais¹ a organização utiliza’ e quais são os mais relevantes para a sua atividade/ negócio.
O ‘Estoque’ e o ‘Fluxo de Capitais’ são os verdadeiros ‘motores’ para sustentar uma permanente ‘criação de valor’ para as organizações.
Assim como o ‘Capital Financeiro’, os recursos disponíveis para uso na produção de bens ou geração de serviços, é essencial para se iniciar e manter uma atividade e é obtido a partir de recursos próprios ou financiamento de terceiros, um olhar mais apurado permitirá que você dimensione a importância de outros ‘Capitais’ para o desenvolvimento das atividades e qual o tamanho do ‘Estoque de Capitais’ ideal para manter o seu ‘Fluxo’ dentro e fora da organização e assegurar a sua sobrevivência, crescimento e longevidade.
O ‘Capital Manufaturado’ são os objetos físicos manufaturados (não naturais) disponíveis para a produção de bens e serviços. Podem ser edificações e equipamentos como também a infraestrutura (estradas, portos, estações de tratamento de água e esgoto) que deve ser utilizada pela organização.
Já o ‘Capital Intelectual’ são os intangíveis baseados em conhecimento, como patentes, direitos autorais, softwares e licenças. E também os sistemas e procedimentos desenvolvidos e utilizados na organização.
‘Capital Humano’ está vinculado intrinsecamente às competências, habilidades e experiência das pessoas da organização e às suas motivações para inovar, alinhadas à estrutura de governança, gerenciamento de riscos e valores éticos adotados pela organização.
A aplicação de ‘Capital Financeiro’ em treinamento e desenvolvimento de pessoas da organização reduz o seu ‘Estoque’, mas esta aplicação aumenta o valor e a capacidade do seu ‘Capital Humano’ e deverá retornar com um aumento de lucros fazendo a reposição daquele ‘Capital Financeiro’.
A ‘licença social’ que uma organização recebe, como o exemplo uma instituição de ensino, é um componente do ‘Capital Social e de Relacionamento’ de organizações. Este ‘Capital’ reflete os relacionamentos dentro e entre comunidades, grupos de partes interessadas e outras redes, e a capacidade de compartilhar informações para melhorar o bem-estar individual e coletivo, inclusive a confiança e a reputação pela qual é reconhecida.
A ‘mãe Natureza’, que fornece os recursos ambientais renováveis ou não e os processos ambientais que apoiam a nossa sobrevivência e prosperidade, representados pela água, terra minerais e florestas, bem como a biodiversidade e a qualidade dos ecossistemas, representam o ‘Capital Natural’.
Alguns dos ‘Capitais’ podem não ser relevantes ou aplicáveis a todas as organizações. Mas a consciência sobre a necessidade (ou não) de cada um deles para a organização do seu cliente, e de como está sendo dimensionado o ‘Estoque’ de cada um e como o seu ‘Fluxo’ de entrada e saída alimenta a organização oxigenando-a permanentemente, pode ser a porta de entrada para a solução de muitos ‘males’ que as afetam e que, muitas vezes, impedem a sua sobrevivência.
Você já olhou para os seus clientes sob este ângulo?
Se você concorda com esta abordagem ou não, e se gostaria de explorar mais este tema, entre em contato e apresente as suas ideias.

Carlos Rocha Velloso
Consultor, Diretor de Desenvolvimento Profissional da ABCO

Informativo ABCO, julho 2017

Download (PDF, 247KB)

Share Button

2 respostas para “Quantos capitais a organização utiliza?”

  1. Carlos Velloso lembra/enfatiza o olhar de distanciamento crítico e sistêmico do consultor. Bem abordado.
    Que venham outros! Vamos desnudar o que é consultoria e o quê, como, faz o verdadeiro consultor.
    Luiz Affonso Romano

  2. Muito boa a abordagem do colega Carlos Velloso. Exploraria com maior detalhe o capital ético, muito em falta em nossos dias.
    PAulo Cesar Azevedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *